fbpx

Como a inovação pode ajudar a reduzir desperdícios, a cumprir cronogramas e a construir melhor?

29 de janeiro de 2021

Nos últimos anos, o ecossistema de inovação na cadeia da construção tem crescido em tamanho e em complexidade. Isso garante às empresas acesso a um acervo cada vez  mais diverso de novas soluções para impulsionar seus negócios.

De acordo com o Mapa de Startups realizado em 2020 pela Terracotta Ventures há mais de 700 construtechs e proptechs ativas no país. O número indica um crescimento de 180% em relação ao mapeamento publicado no Brasil em 2017.

No atual contexto, com o aquecimento do mercado imobiliário, o investimento em inovação e em tecnologias digitais torna-se ainda mais decisivo para abreviar as atividades no canteiro e controlar variáveis que impactam o custo, o cronograma e a qualidade das obras. Por isso, preparamos uma lista com cinco oportunidades de inovação que podem contribuir para a competitividade das construtoras. Continue conosco:

1) Mecanização e pré-fabricação— A inovação nas obras pode estar relacionada à maior mecanização do canteiro e à adesão a tecnologias pré-montadas, que auxiliem as construtoras a produzir mais, com maior controle e de forma mais sustentável. Essa industrialização não precisa ser, necessariamente, integral. Quando bem planejada, a inserção de kits hidráulicos e elétricos, bem como de componentes pré-fabricados, como painéis de fachada, proporciona ganhos significativos.

2) Novos sistemas construtivos — A indústria tem se aperfeiçoado, no Brasil e no mundo, com o desenvolvimento de sistemas mais racionais e sustentáveis. Esse é o caso do steel frame, das paredes de concreto, do wood frame e da madeira engenheirada. Algumas construtoras, como Tenda, Matec e MRV, têm encontrado nesses sistemas um caminho para “fazer diferente” e obter mais eficiência.

3) Digitalização de processos e gestão — Os sistemas backoffice são outro campo fértil para adicionar inovação às obras. Com eles, é possível integrar tecnologias digitais em diferentes áreas do negócio, mudando fundamentalmente a forma de operar e entregar valor aos clientes. Ferramentas de marketing digital, vendas e contratos digitais, assim como softwares para a gestão de projetos colaborativa, são alguns exemplos. Esse tipo de inovação, que muitas vezes não envolve disrupção, tende a crescer em importância por resolver dores como dificuldades na gestão de documentos.

4) Soluções para cadeias de suprimentos — Até chegarem às obras, materiais e insumos para a construção passam por um sistema logístico complexo e suscetível a falhas. A utilização de sistemas inteligentes para realizar a gestão desses processos e que garantam maior previsibilidade de entrega pode ser chave para o atendimento a cronogramas e a orçamentos pré-estabelecidos.

5) BIM no canteiro – O BIM (Building Information Modeling) é uma metodologia capaz de agregar precisão aos projetos, além de produtividade e controle sobre os recursos utilizados. No processo evolutivo de adesão dessa tecnologia no Brasil, espera-se que o BIM saia dos escritórios para ser incorporado também aos canteiros, apoiando a busca pelas melhores soluções para a parte física do canteiro (estudos fluxos e locação de equipamentos) e para orientar a mão de obra sobre como executar exatamente o que foi desenhado. 

O CTE, por meio de sua Unidade Inovação & Tecnologia, vem apoiando o setor da construção na adoção de inovações, sejam elas aplicáveis a produtos ou a processos empresariais. Entre em contato para conversamos mais a respeito. Nossos consultores podem desenvolver um projeto de acordo com as suas necessidades.

Quer receber as
melhores dicas? Assine nossa newsletter

Fique tranquilo, não enviaremos spam.

keyboard_arrow_up