fbpx

Certificações avançam em empreendimentos residenciais

19 de março de 2021

Nas últimas duas décadas, o mercado imobiliário viu um forte movimento em busca por certificações de sustentabilidade, especialmente para projetos de lajes corporativas, galpões e instalações industriais. Mais recentemente, a preocupação com os impactos causados pela construção e pela operação dos edifícios chegou ao segmento residencial. Isso se explica, em parte, pela necessidade dos empreendedores diferenciarem seus produtos em um mercado competitivo e de desenvolverem soluções mais alinhadas às demandas de seus clientes.

“Nos últimos dois anos temos visto as certificações chegando com força aos edifícios multifamiliares e condomínios, seja visando melhor desempenho no consumo de água e energia, seja para prover bem-estar e saúde para seus ocupantes”, afirmou Adriana Hansen, Gerente da Unidade de Sustentabilidade no CTE

Adriana foi uma das participantes do webinar “Sustentabilidade e a gestão eficiente de projetos e obras”, realizado pela Prevision. Na ocasião ela explicou que o movimento em prol da sustentabilidade é impulsionado, também, pela oferta de um leque mais amplo de certificações, incluindo selos como o Edge, o Well e o Fitwel.

CERTIFICAÇÃO EDGE

Criado pelo International Finance Corporation (IFC), do Banco Mundial, o Excellence in Design for Greater Efficiencies (Edge), é uma certificação que visa estimular a adoção de estratégias sustentáveis por parte de pequenas e médias empresas. “Abordando aspectos como desempenho do consumo de energia, eficiência hídrica e pegada de carbono em materiais, o Edge é mais acessível. Por isso mesmo, vem crescendo em nichos de mercado que, até então, não buscavam certificações”, explicou Adriana Hansen. 

No Brasil, um dos empreendimentos com o selo Edge é o Bosque da Serra, em Taboão da Serra, SP. O residencial da Paladin Realty, obteve uma redução de 21% no consumo de energia, 26% no consumo de água e 71% de energia incorporada nos materiais graças às estratégias adotadas.

CERTIFICAÇÕES DE SAÚDE EM BEM-ESTAR

Para os empreendimentos que visam explorar questões relacionadas ao conforto, à saúde e ao bem-estar dos usuários, as certificações Well e Fitwel se sobressaem.

“O Well é uma certificação avançada cujo processo de obtenção contempla auditorias na fase de projeto e presencial em obra. Ele trabalha intensamente aspectos como qualidade do ar e da água e estratégias para prover mais saúde física e mental aos ocupantes”, disse a gerente do CTE. Em contrapartida, em função de sua robustez, o Well exige um investimento maior, não apenas financeiro, como também em tempo de desenvolvimento de projeto.

No Paraná, a Construtora Laguna iniciou a certificação de seus empreendimentos pelo processo Well, após uma fase de amadurecimento, desenvolvendo edifícios com outras abordagens de sustentabilidade. Ana Paula Mello, gestora de desenvolvimento imobiliário da Laguna, cita como exemplo o Pinah, primeiro residencial do Brasil a buscar o Well.

Atualmente em construção, a torre de alto padrão em Curitiba, PR, incorpora princípios da biofilia e tecnologias como sistemas de renovação e monitoramento da qualidade do ar. O prédio contará, ainda, com geração de energia fotovoltaica para atender a 100% da operação das áreas comuns. “O plano é adotar o Well como padrão para todos os empreendimentos do nosso portfólio, atestando o nosso compromisso com a saúde e o bem-estar dos nossos clientes”, comentou Mello.

Constituído por 12 categorias seccionadas em mais de 70 estratégias, o Fitwel é um sistema que também coloca ênfase no indivíduo que irá ocupar o espaço construído. A certificação foi concebida para democratizar o acesso aos selos verdes, baseando-se em soluções e medidas que podem ser implementadas facilmente, sem grandes alterações nos espaços existentes ou investimentos.

“O Fitwell é uma ótima certificação para as empresas que querem dar um primeiro passo rumo às certificações de saúde e bem-estar”, disse Adriana Hansen, complementando que essa metodologia possui muita aderência nos empreendimentos residenciais, inclusive em projetos de habitação popular.

ACULTURAMENTO DO SETOR

Se por um lado é ampla a oferta de certificações, por outro, ainda há desafios a serem superados para que a sustentabilidade seja tratada como um ativo fundamental nos empreendimentos residenciais.

Entre os obstáculos, há o atraso para introduzir a temática da sustentabilidade nos projetos. “Quanto antes esses conceitos forem incorporados, maiores são as oportunidades de termos soluções eficazes e de menor custo”, comentou Adriana Hansen. 

Outra fragilidade é uma carência de informação e conhecimento sobre o assunto, especialmente por parte do comprador que precisa ter entendimento sobre o valor agregado ao imóvel certificado. “O maior grau de exigência do cliente final cria um ciclo virtuoso que eleva o padrão de toda a cadeia, do construtor ao fornecedor de materiais, passando também pelas consultorias”, concluiu Hansen.

O CTE realiza consultoria para as mais diversas certificações ambientais e de sustentabilidade para a construção civil, trabalhando de forma integrada às diversas disciplinas de projeto, durante as etapas de concepção, obra e operação.  Entre em contato conosco para conversarmos mais a respeito.

Quer receber as
melhores dicas? Assine nossa newsletter

Fique tranquilo, não enviaremos spam.

keyboard_arrow_up