fbpx

Certificação Cradle to Cradle: caminhos para a sustentabilidade e a economia circular

4 de outubro de 2021

Ainda que relativamente pouco utilizado no Brasil, o conceito Cradle to Cradle (do berço ao berço) tem cada vez mais atraído a atenção de consumidores e empresas mundo afora. Ele, inclusive, fundamenta uma certificação para produtos sustentáveis, totalmente inseridos em uma perspectiva de economia circular.

A primeira menção ao ciclo Cradle to Cradle apareceu em 2002, quando William McDonough e Michael Braungart publicaram um livro em que propunham uma perspectiva oposta à do modelo linear de produção, hegemônico nos dias de hoje.

Enquanto no modelo linear as fases da vida de um produto são progressivas e unidimensionais, não permitindo nenhum tipo de reaproveitamento, no modo Cradle to Cradle a palavra-chave é ciclo

No sistema tradicional, extraem-se recursos da natureza que são usados na produção; a seguir, o produto é consumido e finalmente descartado. A trajetória descrita vai do berço à sepultura. 

Já no modelo cíclico, cada etapa é sustentável e todas são interconectadas. Quando o produto cumpre seu percurso de uso, ele retroalimenta a produção de um novo produto e assim sucessivamente.

Inspiração na natureza

Partindo dessa perspectiva, a Certificação Cradle to Cradle é conferida a produtos elaborados de acordo com uma série de parâmetros de sustentabilidade social e ambiental. A ideia é que o sistema industrial que gerou o produto certificado espelhe o modelo da própria natureza, na qual todos os materiais retornam ao ciclo, porém de forma biológica ou técnica, e nada se perde. 

Há três pilares no ciclo preconizado pela perspectiva Cradle to Cradle:

  • Resíduos devem ser vistos como nutrientes: Como nada será descartado, todos os materiais representam componentes de novos ciclos. Por isso, todos os recursos utilizados devem ser seguros para seres humanos e ecossistemas e tudo deve ser passível de recuperação.
  • A energia fundamental é renovável: A produção não pode depender de fontes de carbono não sustentáveis. 
  • A diversidade deve ser celebrada: Ecossistemas são constituídos de diversos seres, cujas relações saudáveis geram uma dinâmica harmônica. Os sistemas de produção também dependem da diversidade de seus componentes e de inter-relações saudáveis com o entorno.  

Certificação para a indústria

Concedida pelo Cradle to Cradle Product Innovation Institute (C2CPII), organização sem fins lucrativos com sede nos Estados Unidos, a Certificação Cradle to Cradle leva em consideração as seguintes categorias fundamentais, bases para os parâmetros de avaliação.

  • Materiais saudáveis: todos os elementos do produto devem ser pensados para proteger a saúde humana e o ecossistema, gerando impacto positivo na qualidade do material para promoção de um ciclo contínuo sem riscos. 
  • Circularidade: Os produtos são intencionalmente projetados para um uso cíclico, de modo que seus componentes devem ser passíveis de reuso pleno e seguro. 
  • Ar limpo e proteção do clima: A manufatura deve ser um processo com impactos positivos para a qualidade do ar, com uso de energia renovável e neutralização das emissões de carbono.
  • Gestão da água e solo: O gerenciamento da água e do solo ao longo do processo produtivo deve ser pautado pela busca do maior grau de eficiência. As bacias hidrográficas e os solos devem ser protegidos. Tanto o processo de manufatura quanto de uso do produto precisam promover água e solo saudáveis às pessoas e aos demais organismos vivos.
  • Responsabilidade social:  O fabricante deve ser comprometido com a defesa dos direitos humanos, com um modelo de negócio justo e equitativo. 

O selo Cradle to Cradle possui quatro níveis de classificação: Bronze, Prata, Ouro e Platina, que é o grau máximo. 

O produto ou serviço certificado como Platina possui nível zero de toxicidade química e índice de reutilização de 100% de seus materiais. Além disso, é fabricado com energia renovável ou inclui projeto de compensação de energia e gera água potável como efluente. 

Com um programa simplificado, a Certificação Cradle to Cradle gera uma marca que pode ser inserida no produto. Dessa forma, cria uma distinção de fácil percepção pelo consumidor e facilita a comunicação do fabricante sobre os esforços realizados em prol da sustentabilidade. 

Produtos certificados Cradle to Cradle podem contribuir com pontos em sistemas de classificação de construção verde, como o LEED v4.

O CTE é um organismo de avaliação acreditado para realizar consultoria de análise e avaliação dos produtos que pretendem obter o Cradle to Cradle. Atuamos no desenvolvimento de uma comunicação técnica e transparente voltada às novas demandas do mercado e realizamos estudos científicos que avaliam a pegada ambiental do produto e o processo de fabricação. Entre em contato para saber mais!

Quer receber as
melhores dicas? Assine nossa newsletter

Fique tranquilo, não enviaremos spam.

keyboard_arrow_up