fbpx

Retrofits como estratégia para adicionar eficiência operacional aos edifícios

1 de outubro de 2021

Uma rota cada vez mais explorada para levar eficiência e sustentabilidade às edificações existentes é o retrofit. Esse tipo de intervenção vem sendo cada vez mais valorizada em função dos ganhos que podem ser obtidos, seja na operação — como redução no consumo de energia e de água — seja no melhor atendimento às necessidades dos usuários.

MONITORAMENTO E RENOVAÇÃO DE EQUIPAMENTOS

Em edifícios comerciais e corporativos, eficiência operacional é um atrativo cada vez mais valorizado pelos locatários. Não à toa, empresas como a São Carlos, uma das principais companhias de investimento e administração de imóveis comerciais do Brasil, investem em ações para fazer com que seus ativos operem com o máximo de racionalidade. No caso da São Carlos, entre as práticas adotadas está a instalação de sensores de medição em equipamentos estratégicos e o uso de um software especialista de gestão energética e hídrica. Neste artigo contamos mais detalhes sobre esse case.

Também em edifícios residenciais os ganhos podem ser impactantes para o orçamento do condomínio e para o meio ambiente. No edifício Petit Palais, em São Paulo, por exemplo, foi possível obter economia de R$ 37 mil, em apenas cinco meses, graças à troca de equipamentos da central de gás para água quente por equivalentes mais modernos,  informou José Jorge Chaguri Júnior, diretor da Chaguri Engenharia. Em evento realizado pela Rede Construção Sustentável (RCS) em julho, ele lembrou que “os edifícios mudam durante sua vida útil e que as instalações prediais precisam, naturalmente, acompanhar essa evolução”.

Segundo Chaguri, o primeiro passo para um projeto de retrofit de instalações é a realização de um diagnóstico. Neste trabalho, devem ser avaliadas as características do edifício e, principalmente, o comportamento dos usuários. 

ILUMINAÇÃO E VENTILAÇÃO MAIS EFICIENTES

O retrofit é, por si só, uma ação sustentável. Afinal, ele prolonga a vida útil da edificação ao permitir que ela adquira uma nova função. 

De modo geral, os projetos de reforma visando ganho de eficiência focam áreas que respondem pela maior parte do total de energia consumida em um edifício: a iluminação, a insolação e a ventilação, e os sistemas de resfriamento.

No caso da iluminação, a intervenção pode prever, por exemplo, a substituição do sistema de cobertura por telhas térmicas ou translúcidas, bem como a inserção de dispositivos dimerizáveis.

Em relação à insolação e à ventilação, o projeto pode contemplar a instalação de  lanternins, de aberturas para favorecer a ventilação cruzada, e de anteparos para os raios solares. O trabalho pode se pautar, também, em estudos e simulações com softwares específicos para analisar as condições da edificação.

RENOVAÇÃO DE AR CONDICIONADO

Quanto ao sistema de ar condicionado, as ações geralmente envolvem a instalação de equipamentos mais eficientes, o redimensionamento em função do uso do ambiente e a setorização de temperaturas por ambiente. 

Um case bem-sucedido de retrofit de ar condicionado ocorreu no Condomínio Edifício Parque Cultural Paulista, na Avenida Paulista. A torre de fachada espelhada, utilizava um sistema composto por chillers de condensação de 1 mil TR. Em 2015 foi iniciado um processo de modernização para substituir a central de água gelada. A tecnologia escolhida foi o VRV (Volume de Refrigerante Variável) com condensação a ar, acompanhada de um sistema de monitoramento com central de automação 24 horas. Segundo dados da Daikin, responsável pelos novos equipamentos, além de reduzir o uso do espaço da cobertura e de atender melhor os usuários, a intervenção resultou em uma economia total de energia de 40% e diminuiu em 80% o consumo de energia despendida para o funcionamento do ar condicionado.

A Unidade CTE Operação Sustentável atua para promover um processo de operação e manutenção sustentável dos edifícios. Nossa equipe identifica e implementa soluções integradas para otimização de toda a área operacional das edificações, atendendo a aspectos como gestão de resíduos, água, energia, engajamento com os ocupantes e governança corporativa para a sustentabilidade. Entre em contato para saber mais!

Quer receber as
melhores dicas? Assine nossa newsletter

Fique tranquilo, não enviaremos spam.

keyboard_arrow_up