fbpx

Biofilia, inovação e tecnologia conferem LEED Gold aos escritórios do CTE

23 de dezembro de 2021
Roberto de Souza, CEO do CTE, junto aos gerentes da Unidade de Sustentabilidade, Frederik Purper e Adriana Hansen.

A sede do CTE, no bairro do Brooklyn, em São Paulo, foi concebida para refletir, em um espaço físico, os valores, a cultura e toda a expertise da empresa, que tem três décadas de história e é sinônimo de credibilidade, excelência técnica e inovação no setor da construção. 

Realizado pelos arquitetos do escritório Superlimão, com a colaboração das equipes de sustentabilidade e planejamento do CTE, o projeto foi desenvolvido a partir de uma metodologia integrada. O objetivo foi obter o melhor entendimento possível das necessidades e identificar soluções que permitissem conciliar bem-estar dos usuários e máxima eficiência na utilização de recursos naturais. 

O trabalho envolveu a participação ativa de todos os projetistas, de arquitetura a luminotécnica, passando por sistemas prediais e automação. A partir deste projeto foram desenvolvidas soluções e firmadas parcerias com fornecedores de materiais e sistemas que tivessem diferenciais de sustentabilidade em seus portfólios.

O conjunto de estratégias aplicadas culminou, em 2021, na obtenção da certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) nível Gold. O selo de sustentabilidade atesta a eficiência e a qualidade das medidas adotadas tanto durante o projeto, quanto no decorrer da obra, realizada pela Lock Construtora.

Recepção do escritório CTE, que foi inaugurado em 2019.

EFICIÊNCIA E INOVAÇÃO

Em todo o mundo, o processo LEED é uma referência quando se fala em performance de espaços construídos. No Brasil, o CTE é líder em consultoria para a obtenção desta certificação, somando mais de 40% de market share e centenas de projetos certificados de diferentes tipologias.

Nesse contexto, buscar a certificação LEED foi uma escolha natural. “Era importante que o nosso escritório estivesse em aderência com o serviço  que prestamos ao mercado por tanto tempo e a tantos clientes”, comenta Adriana Hansen, gerente de consultoria da Unidade de Sustentabilidade do CTE e coordenadora do projeto.

A sustentabilidade permeou todas as decisões que envolveram a construção do escritório de 1.100 m² e que abriga 175 postos de trabalho, além e salas de reuniões e auditório com 56 lugares. 

Sala de reunião Tula Melo, que também funciona como auditório. A mobília da sala é totalmente adaptável para montagem em outros formatos.

Além de estratégias para maximizar a eficiência, os materiais foram especificados considerando estudos de impacto ambiental e taxas de emissões de gases do efeito estufa. 100% das tintas, adesivos, selantes e revestimentos utilizados têm baixa ou zero emissão de compostos orgânicos voláteis.

Para o ar condicionado foram instalados equipamentos de alto desempenho VRF (LG) com sistema de tratamento com luz ultravioleta (Ecoquest) e sensores de  CO₂ para modulação do sistema de renovação de ar externo. Também há um sistema de medição setorizada (Mercato) com sensores que monitoram os consumos de energia e água.

A iluminação recebeu automação (Equalize) que contemplou a dimerização em função da disponibilidade de luz natural e o uso de sensores de presença. Foram instaladas, ainda, persianas automatizadas (Suntracking) que simultaneamente barram a entrada de calor e reduzem o ofuscamento.

Visando racionalizar o uso de água, foram instaladas bacias de alto desempenho e mictórios secos (Deca), assim como arejadores em todas as torneiras.

O conjunto de soluções adotadas permitiu conquistar indicadores relevantes de eficiência, como 41% de economia de água potável, 29,5% economia no consumo de energia e 98% total de resíduos desviados de canteiro.

DESIGN BIOFÍLICO

Atrelada à sustentabilidade, a biofilia foi outra diretriz que acompanhou todo o desenvolvimento do projeto do escritório do CTE. Trata-se de um conjunto de estratégias de design para criar ambientes que favoreçam a conexão dos  usuários com a natureza.  Segundo o relatório Human Spaces: O impacto global do design biofílico no local de trabalho, pessoas expostas a elementos da natureza têm níveis mais elevados de produtividade e de criatividade.

Em alinhamento com os princípios do design biofílico, o design de interiores do CTE baseou-se em quatro elementos (água, terra, ar e fogo) e privilegiou o uso dos materiais em sua forma mais natural, com tonalidades e texturas que remetem à natureza. Chamam a atenção as mesas produzidas com folhas de madeiras brasileiras de reflorestamento e a laje de concreto com as instalações aparentes, preenchidas apenas com nuvens acústicas coloridas inseridas em pontos estratégicos.

Estações de trabalho do escritório CTE.

O espaço é repleto de exemplos da utilização dos materiais de maneira criativa e pouco óbvia, algo que tem estreita conexão com a nossa visão e o nosso jeito de atuar”, comenta Hansen. O painel cimentício (Ulma) normalmente empregado na vedação dos edifícios, foi utilizado como divisória na recepção, adquirindo também status de elemento decorativo. As placas de carpete (Interface) não ficaram restritas ao piso, mas subiram as paredes, agregando cor, desempenho acústico e sensação de aconchego. O material especificado foi produzido a partir de nylon obtido de linhas e redes de pesca retiradas dos oceanos.

A vegetação natural também é farta, especialmente nas varandas. Utilizado como área de descompressão e para pequenas reuniões, o local recebeu jardins e móveis de madeira criando uma atmosfera acolhedora (Cardim Paisagismo).

Área externa do escritório.

RETOMADA SEGURA

As estratégias de sustentabilidade têm se mostrado importantes, também, em um momento de retomada das atividades presenciais. Inaugurado em agosto de 2019, a sede do CTE ficou mais de um ano com ocupação mínima em função do isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19.

Além de toda tecnologia para assegurar a melhor qualidade do ar, a flexibilidade dos postos de trabalho tem sido de grande valor ao agregar resiliência para o espaço construído. Isso fica evidente em soluções como as divisórias acústicas que podem ser colocadas junto às mesas da forma que o usuário preferir, permitindo customizar o nível de privacidade e isolamento.

CONTRIBUIÇÃO PARA O CLIMA ORGANIZACIONAL

A mudança para o novo escritório trouxe para o CTE alguns benefícios organizacionais. Entre eles, a maior integração entre as unidades e a possibilidade de as pessoas enxergarem o propósito da empresa refletido no escritório. Além disso, o nível de satisfação dos colaboradores é bastante alto, tanto que o espaço físico foi um dos itens que contribuiu para a obtenção do selo Great Place to Work.

Segundo Adriana Hansen, a sede do CTE, da forma como foi concebida e construída, trouxe à tona uma série de questões relacionadas a pertencimento e reconhecimento para os colaboradores. “Para clientes e parceiros, o escritório permitiu comunicar com mais clareza as propostas, soluções e ideias que o CTE oferece para o mercado”, concluiu.

#timeCTE na inauguração da nova sede.

SOBRE O CTE

O Centro de Tecnologia de Edificações é uma empresa de consultoria e gerenciamento especializada em qualidade, tecnologia, gestão, sustentabilidade e inovação para o setor da construção. Desde 1990 desenvolve metodologias e tecnologias para a melhoria da gestão das empresas, dos empreendimentos e das obras, estimulando e promovendo a produtividade, a competitividade e o crescimento sustentável da cadeia produtiva da construção.

    Quer receber as
    melhores dicas? Assine nossa newsletter

    Fique tranquilo, não enviaremos spam.
    keyboard_arrow_up