Condomínios investem em serviços com "grife"

RIO - Já não basta ter uma academia, um salãozinho de beleza, um espaço gourmet ou um barzinho com guloseimas para as crianças perto da piscina. As áreas de lazer dos “condomínios-clube” procuram nomes grifados dos esportes, da beleza e da gastronomia para assinar esses espaços. O Península, por exemplo, têm adega criada por Danio Braga. No Rio 2, o salão é mais uma das franquias da rede comandada por Edson Freitas. E até academias como BodyTech e Rio Sport Center já têm algumas unidades dentro de condomínios.

Para os comerciantes, um típico negócio de bairro, com a segurança de estar dentro de um condomínio fechado e a certeza de ter clientes conhecidos e fiéis. Já para as construtoras, a garantia de valorizar o imóvel. Não exatamente no preço, mas na maneira como aquela unidade será vista no mercado. Por isso, muitas investem na parceria ainda no lançamento. Um exemplo é o residencial RG Personal Residences, no Recreio. A construtora Even apostou na divulgação da parceria com a rede de academias Rio Sport Center para assinar o espaço fitness do empreendimento antes mesmo de começar a construção. Outras empresas fazem a parceria com o imóvel já pronto.

— Periodicamente realizamos pesquisas de mercado para identificar as necessidades dos nossos clientes e temos percebido que cada vez mais eles buscam por serviços de qualidade. Em um residencial, entre as áreas de lazer de mais procuradas, está a academia, principalmente no Rio de Janeiro — afirma Fábio Terepins, diretor Executivo da Even, explicando que a Rio Sport Center será responsável não apenas por montar a academia do RG Personal Residences, mas também por operá-la.

— No lançamento, o mercado investe muito no conceito de “condomínio-clube”, com amplas áreas de lazer e segurança para os moradores. Depois de prontos, é preciso colocar o condomínio para funcionar e ninguém melhor para fazer isso que os especialistas. Surgiram então as parcerias com restaurantes renomados, spas e academias de grife. Sem dúvida, contar com serviços de qualidade tornou-se um diferencial, valorizando ainda mais os empreendimentos já prontos — acredita Rubem Vasconcelos, presidente da Patrimóvel, imobiliária responsável por vender boa parte dos lançamentos imobiliários da cidade.

Ter uma área de lazer de grife não vai fazer com que o metro quadrado custe mais caro, mas certamente ajuda a vender, mais rapidamente, as unidades. E como os serviços são independentes do condomínio, não há qualquer impacto na taxa mensal paga pelos moradores. Responsável pela criação de alguns dos condomínios bairro da Barra — como Península, Rio 2 e Cidade Jardim —, a Carvalho Hosken, por exemplo, investe em serviços que tenham a cara de seus futuros moradores. No prédio St. Barths, do Península, chamou o chef e sommelier Danio Braga para criar a adega do empreendimento, que tem espaços para cada unidade guardar seus vinhos. Já para o Cidade Jardim levou o conhecido Bar do Adão, que já tinha uma unidade em outro condomínio da cidade, o Garden Park, no Grajaú.

— Trazendo as marcas oferecemos produtos de excelência para os moradores. E isso independe do preço do imóvel, que, de certa forma, é nivelado. O apartamento naquele prédio não vai custar mais que no similar. Mas na hora de revender, ele vai ter um diferencial, um algo a mais que ajuda a mostrar a qualidade dos nossos produtos — diz Ricardo Corrêa, gerente de marketing da Carvalho Hosken.

Gestor das duas unidades do Bar do Adão em condomínios da cidade, Rômulo Ferreira acredita que a fórmula é um sucesso.

— Hoje, o Bar do Adão é citado como chamariz de venda nos anúncios imobiliários dos dois condomínios. O restaurante dentro do condomínio oferece mais segurança e conforto para os moradores, que acabaram se tornando clientes fiéis. O movimento é estritamente familiar, de pessoas conhecidas e seus convidados, que preferem se divertir sem sair de casa — diz.

Fonte: http://oglobo.globo.com/economia/imoveis/condominios-investem-em-servicos-com-grife-11495687