Novo perfil: engenheiro de qualidade e meio ambiente

A procura por um profissional que domine os assuntos qualidade e meio ambiente tem aumentado nos últimos anos. Hoje, a importância deste profissional está atrelada ao cumprimento da estratégia adotada pelas construtoras. Veja a entrevista de Josaphat Lopes Baía, Diretor da Unidade de Consultoria Empresarial do CTE, sobre o novo perfil e atribuições de um engenheiro e qualidade e meio ambiente.

Quais são as principais atribuições de um engenheiro da qualidade e meio ambiente?

Para desempenhar a função de engenheiro da qualidade e de meio ambiente em uma construtora é necessário:
 

Conhecer os requisitos do sistema de gestão da qualidade e ambiental, tendo como base, muitas vezes, as normas ISO 9001, SIAC do PBQP-H e ISO 14001;
Conhecer os requisitos de certificações com foco no meio ambiente voltadas para os empreendimentos, tais como: LEED® e AQUA;
Estabelecer políticas da qualidade e de meio ambiente que irão nortear as decisões dentro e fora da empresa;
Elaborar padrões e controles que deverão ser usados por toda a empresa ao longo das atividades e processos relacionados à construção;
Promover a comunicação, treinamentos das pessoas e os recursos necessários para operação, manutenção e melhoria do sistema de gestão;
Desenvolver, consolidar e melhorar a tecnologia construtiva usada pela empresa, ou nova tecnologia recém-adquirida, com o objetivo de melhorar a produtividade, reduzir o desperdício, cumprir os prazos e manter ou aumentar o padrão estabelecido de qualidade;
Identificar, mitigar ou eliminar os aspectos e impactos ambientais advindos do processo de construção, de uso e operação da edificação;
Identificar e cumprir a legislação relacionada ao negócio e aplicada ao empreendimento do ponto de vista de qualidade e ambiental.


Qual a importância desse profissional dentro de uma construtora? A procura tem aumentado?

A procura por um profissional que domine os assuntos qualidade e meio ambiente tem aumentado nos últimos anos. Hoje, a importância deste profissional é atrelada ao cumprimento da estratégia adotada pelas construtoras.

Algumas construtoras atuam em mercados onde os contratantes exigem a certificação ISO 9001, SIAC nível A do PBQP-H ou ISO 14001.

Outras constroem empreendimentos onde o apelo ambiental é ressaltado (os chamados green buildings ou edifícios verdes).

E existem ainda aquelas que criaram programas próprios ou cumprem programas estabelecidos por outras empresas e instituições (ISE, GRI, etc.) com aspectos de qualidade, de meio ambiente e de saúde e segurança ocupacional, os chamados programas de responsabilidade socioambiental, ou simplesmente programas de sustentabilidade.

Em todos os casos, a construtora precisa de um profissional que transforme as políticas e recursos disponibilizados para a qualidade e meio ambiente em ações concretas e resultados mensuráveis.

Para ocupar esse cargo, é necessário se especializar em quê? Que cursos devem ser feitos?

Existem pós-graduações, mestrados, doutorados, MBA’s com foco em gestão da qualidade, gestão ambiental, tecnologias construtivas, tecnologias ambientais, saneamento, uso da água, reuso e reciclagem de materiais de construção, certificação de empreendimentos: LEED®, AQUA; etc.

A questão primordial é descobrir qual o curso que melhor se adéqua às necessidades da empresa e do profissional.

Quais são as maiores dificuldades em ser um profissional especializado neste segmento?

O profissional especializado em qualidade e meio ambiente provavelmente enfrentará as seguintes dificuldades:
 

Viabilizar sua especialização: poucas empresas investem tempo e dinheiro na formação e capacitação de seus colaboradores; não é raro encontrar profissionais que tiveram que escolher entre o emprego e uma especialização;
Cumprir as políticas, padrões e controles de qualidade e de meio ambiente estabelecidas pela construtora: rapidamente o profissional irá descobrir que tudo o que atrapalhar a produção (prazo e custo) será combatido arduamente por boa parte da organização e pela alta direção (a mesma que escreveu e aprovou as políticas de qualidade e de meio ambiente);
Cumprir a legislação: devido a fatores como prazo da obra, localização, recursos disponíveis, exigências contratuais, morosidade dos órgãos competentes, o cumprimento da legislação aplicável ao negócio e à construtora nem sempre é fácil ou possível;
Obter recursos para manter e melhorar o sistema de gestão integrada: sempre que surge uma crise, as áreas de qualidade e meio ambiente são as primeiras a sofrerem cortes de pessoas e de investimento; muitas vezes programas são abortados e engenheiros são transferidos para as áreas de produção.

Que dicas podem ser dadas para um profissional que almeja ingressar nessa atividade?

Aí vão algumas dicas:
 

Procure uma boa escola, universidade ou instituição para se especializar;
Escolha um tema que tenha interesse em desenvolver;
Verifique se este tema interessa à empresa na qual você trabalha ou ao mercado em geral;
Procure participar de projetos desafiadores, onde novas competências podem ser adquiridas;
Participe de congressos, feiras, eventos ligados ao tema;
Leia, pesquise sobre o assunto;
Estude a legislação aplicada a uma construtora e ao seu setor de atuação (a legislação ambiental brasileira é uma das mais complexas no mundo).

* Josaphat Lopes Baía é Diretor da Unidade de Consultoria Empresarial do CTE. Engenheiro Civil pela Escola Politécnica da Universidade Federal de Pernambuco e Mestre em Engenharia de Construção Civil e Urbana pela Escola Politécnica da USP. Especialista em Gestão Empresarial pelo IBMEC, Auditor líder ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001 pela Fundação Carlos Alberto Vanzolini. Especialista em Sistemas de Gestão Integrada (qualidade, meio ambiente, segurança do trabalho e saúde ocupacional).