fbpx

Madeira engenheirada: conheça 5 projetos ao redor do mundo

20 de outubro de 2020

Principalmente em países do hemisfério norte, o uso da madeira engenheirada como solução estrutural e arquitetônica vem se consolidando por uma série de motivos. O primeiro deles é a necessidade de explorar matérias-primas sustentáveis, que colaborem para capturar carbono da atmosfera e reduzir o efeito estufa.

Há, também, o fato de a madeira engenheirada, por ser uma solução industrializada, permitir uma obra mais enxuta, industrial e precisa, em comparação a soluções construtivas artesanais. Podem ser citadas, ainda, vantagens estéticas, associadas a sensações de acolhimento, conforto e proximidade com a natureza.

O termo madeira engenheirada refere-se a uma série de produtos que, após a extração, são submetidos a tratamentos e processos que agregam qualidade e homogeneidade.

A seguir apresentamos a você cinco projetos que se basearam em soluções, como as madeiras laminadas cruzadas (CLT) e as madeiras laminadas coladas (MLC ou Glulam), de uma forma bastante inspiradora. Confira:

Centre Pompidou Shigeru Ban Architects Metz, França

            Vencedor do Prêmio Pritzker em 2014, o arquiteto japonês Shigeru Ban é conhecido pelo uso inovador de técnicas e materiais e por sua habilidade em criar estruturas com alto grau de sofisticação. Um dos seus projetos que chama a atenção é o Centre Pompidou em Metz, que combina um material industrializado —  a madeira laminada colada —  com um olhar artesanal. Nesse caso, a madeira dá forma à estrutura inspirada em técnicas de tecelagem chinesas e apoia uma membrana de fibra de vidro e teflon. Para viabilizar a montagem da grelha de formas orgânicas, as peças de madeira foram modeladas em BIM e executadas em máquinas de CNC com precisão milimétrica.

Oslo Airport Nordic Architecture Oslo, Noruega

            Os países nórdicos possuem vasta tradição no uso de madeira em suas construções. Por isso, nada mais natural que o material fosse explorado no projeto de renovação e ampliação do Aeroporto Internacional de Oslo, o primeiro a receber uma classificação de sustentabilidade Breeam. No local, vigas e arcos de glulam apoiam a cobertura curva. Segundo os arquitetos da Nordic, a madeira laminada colada foi determinante para o sucesso do projeto por conta de seu comportamento maleável e resistente, e por ajudar a criar uma atmosfera acolhedora às salas de embarque.

River Beech Tower Perkins & Will Chicago, EUA

A River Beech Tower é resultado de um estudo que envolveu designers da Perkins & Will, pesquisadores da Universidade de Cambridge e engenheiros da Thornton Tomasetti. A ideia era explorar o conceito de um arranha-céu residencial maciço de madeira a partir de soluções construtivas que permitissem levar a sustentabilidade a um novo patamar, especialmente com relação às emissões de carbono. Com 80 andares de altura e duas torres, o projeto conceitual prevê a construção de 300 unidades.

Diferente de outros edifícios altos com estrutura de madeira, a River Beech não possui núcleo de concreto armado. A estabilidade é garantida por um conjunto de soluções combinadas e que incluem uma grade estrutural modular e vigas de CLT (madeira laminada cruzada). Clique aqui para saber mais detalhes técnicos sobre esse projeto.

Brock Commons Tallwood House Acton Ostry Architects Vancouver, Canadá

Concebido para servir de moradia estudantil e certificado com o LEED Gold, o Brock Commons não se sobressai pelo design arrojado. Ainda assim, esse edifício em Vancouver merece menção pelo desafio de engenharia. A torre de 53 m de altura foi concluída em apenas 70 dias após expedição dos componentes pré-fabricados. Isso foi possível graças ao planejamento meticuloso, que incluiu a elaboração de um modelo BIM detalhado, e a integração  dos processos de projeto e construção. No edifício canadense, a estrutura híbrida utiliza um núcleo de elevadores de concreto, além de lajes, vigas e pilares de madeira. Neste vídeo você pode conferir o depoimento de engenheiros e arquitetos envolvidos no projeto.

Centennial College — Dialog Design e Ontário Smoke Architecture — Scarborough, Canadá

Repleto de referências à natureza e aos povos nativos, a ampliação do campus da Centennial College, na região de Toronto, tem como ambição ser uma instalação carbono zero.

Para viabilizar esse objetivo, uma das estratégias adotadas será o uso da madeira engenheirada. A estrutura contará com pilares e vigas de madeira laminada colada (Glulam) e lajes de madeira laminada cruzada (CLT) combinadas a um núcleo de concreto que acomoda a caixa de elevador e escadas. Também serão instalados painéis fotovoltaicos na cobertura, com capacidade para gerar energia suficiente para compensar as emissões anuais de carbono associadas às operações do edifício.

A Unidade de Inovação e Tecnologia do CTE apoia diversos agentes da cadeia da construção no uso de inovações. Nossa equipe vem acompanhando todo o processo de disseminação da madeira engenheirada no Brasil, acompanhando, inclusive uma das primeiras obras comerciais da cidade de São Paulo com essa solução estrutural. Ficou curioso para saber mais? Então entre em contato conosco!

TAGS: madeira engenheirada

Quer receber as
melhores dicas? Assine nossa newsletter

Fique tranquilo, não enviaremos spam.

keyboard_arrow_up