fbpx

Com cada vez mais exigências, projetos de arquitetura avançam em sustentabilidade

22 de setembro de 2020

Nos últimos 14 anos, muitas mudanças aconteceram no mercado imobiliário brasileiro. O país, que até então não tinha ações estruturadas com relação à sustentabilidade de suas edificações, transformou-se na quarta nação do mundo em certificações LEED (Leadership in Energy and Environmental Design). “Já são cerca de 1800 empreendimentos sustentáveis, certificados ou em processos de certificação pelos processos LEED e Aqua”, comenta Roberto de Souza, CEO do CTE.

Essa trajetória e os desafios para atingir novos patamares de sustentabilidade e excelência foram discutidos durante o 24º Webinar realizado pelo CTE enredes no último dia 17 de setembro.

Na oportunidade, arquitetos dos escritórios Aflalo Gasperini, Perkins & Will e Superlimão debateram o papel da arquitetura no desenvolvimento de  construções e cidades mais sustentáveis.

“Em um contexto no qual as melhores práticas ambientais, sociais e de governança estão sendo mais valorizadas, a arquitetura ganha ainda mais protagonismo”, diz Roberto, citando a expansão dos fundos de investimento sustentáveis como mais um indicador de que a sustentabilidade é uma evolução sem volta.

A SUSTENTABILIDADE NOS PROJETOS

Projeto São Paulo Corporate Towers – Desenvolvido em parceria entre a Pelli Clarke Pelli Architects e a aflalo/gasperini arquitetos, que foi responsável pelo estudo de viabilidade, tropicalização e desenvolvimento técnico do projeto. O projeto possui pré-certificação Leed Platinum 3.0 graças à gestão eficiente de energia, água, e do bem-estar dos usuários.

A preocupação com o conforto dos usuários e com a eficiência na operação dos edifícios sempre esteve presente em bons projetos de arquitetura. Nos últimos anos, porém, algumas premissas de sustentabilidade adquiriram maior relevância nos projetos realizados pelos grandes escritórios, sempre com intuito de gerar edifícios melhores e que tenham interação saudável com o entorno.

Entre as práticas que viabilizam esse movimento está o uso intensivo de tecnologia para realizar simulações de incidência solar, ventilação e análise de ciclo de vida. “Os novos softwares nos permitem obter dados consistentes para auxiliar os clientes na tomada de decisão”, revela Fernando Vidal, diretor-geral da Perkins & Will no Brasil.

Destaca-se, também, a preferência por materiais regionais e produzidos em conformidade com diretrizes de sustentabilidade.

Outras premissas que vêm orientando o desenvolvimento dos projetos são os estudos de impacto social, cada vez mais complexos, e a priorização da saúde e do bem-estar dos ocupantes.

Segundo Rafael Lazzarini, diretor da unidade de sustentabilidade do CTE, os benefícios tendem a ser maiores quando a sustentabilidade é incorporada nas fases iniciais de planejamento. “Quanto mais cedo esse assunto é abordado pelo incorporador, maiores são as oportunidades para obter soluções com menores custo e interferência no projeto”, afirma Lazzarini.

O PAPEL DAS CERTIFICAÇÕES

Nesse processo evolutivo, as certificações ambientais tiveram uma contribuição importante como indutor do desenvolvimento de projetos sustentáveis no Brasil. “Elas impulsionaram a qualidade da cadeia como um todo, desde o projeto, passando pelo setor construtivo, integrando com normas de desempenho e trazendo novas metodologias de construção”, analisa Vidal. 

Escritório do CTE, projetado pelo Superlimão Studio. Na elaboração do conceito a arquitetura buscou misturar um aspecto neutro à inserção de materiais coloridos, baseando-se em 4 elementos (água, terra, ar e fogo) para compor o projeto de interiores. Mas a sustentabilidade não entra apenas nos aspectos de materiais – tudo é reciclado ou reciclável no CTE.

“A certificação ajuda a separar o joio do trigo e permite gerar retorno financeiro para quem realiza esse investimento”, acrescenta Lula Gouveia, sócio do Superlimão. “Ela também ajuda a evitar o greenwashing. Saímos de um cenário marqueteiro para fazer sustentabilidade de verdade”, continua Gouveia.

ONDE DÁ PARA MELHORAR?

Apesar de todos esses avanços, ainda há obstáculos a serem superados para que a construção civil atinja um nível de sustentabilidade ótimo. “Entre os desafios há os sistemas construtivos nacionais que, de modo geral, ainda geram muito desperdício e são muito dependentes do uso do concreto”, cita Vidal.

“Os sistemas para fachada disponíveis também precisam evoluir”, comenta José Luiz Lemos, sócio-diretor da Aflalo Gasperini Arquitetos. “É verdade que o vidro melhorou muito e há bons produtos fabricados no Brasil,  mas quando falamos em soluções para fachada como um todo e o emprego de elementos arquitetônicos, ainda há uma grande distância entre o que temos por aqui e o que se oferece no exterior”, complementa Lemos.

Na visão de Lula Gouveia, a evolução passa pelos fabricantes investirem mais em testes e medições. “Precisamos de ensaios confiáveis para compreendermos o material que estamos especificando. Afinal, uma escolha equivocada pode fazer o nosso cliente simplesmente desistir da sustentabilidade”, ressalta.

Projeto Bambu Atmosfera, da Perkins&Will. O bambu foi a principal inspiração do projeto, pois é um material flexível que pode se adaptar facilmente a diversas aplicações e formas. Por ser um material natural e de baixo custo, o uso do bambu ajuda a reduzir a pegada de carbono da construção.

“Quando olhamos para sistemas de ar condicionado, iluminação, dispositivos hidráulicos e vidros de alto desempenho, vemos melhorias significativas. No entanto, faltam, por parte de alguns fornecedores, informações mais sólidas sobre os seus produtos e, até mesmo, o interesse por certificações mais avançadas, tipo cradle to cradle”, acrescenta Lazzarini, concluindo que também faltam, por parte do poder público, incentivos para o desenvolvimento de edificações mais sustentáveis.

O CTE oferece consultoria para o desenvolvimento de empreendimentos sustentáveis de alto desempenho, com proposição de soluções técnicas e introdução de inovações tecnológicas em projetos de pequeno, médio e grande porte. Entre em contato para obter mais informações.

Não deixe de assistir na íntegra o nosso Webinar “Arquitetura e Sustentabilidade na Construção”.

Melhores Webinars de 2020!

Quer receber as
melhores dicas? Assine nossa newsletter

Fique tranquilo, não enviaremos spam.

keyboard_arrow_up