fbpx

Comunidades sustentáveis e a redução de impactos ambientais na construção

25 de novembro de 2021

Lançados pela ONU (Organização das Nações Unidas) em 2015, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável definem metas para erradicar a pobreza e promover uma vida digna para todos. Ao todo são 17 ODSs que envolvem temáticas diversificadas. “A ideia é que estes objetivos incentivem a sociedade, seja como organização formal, seja como indivíduos, a atuar como agentes em prol do desenvolvimento sustentável”, explica Márcia Menezes, diretora de Inovação e Tecnologia do CTE. 

A indústria da construção, por sua importância e impactos gerados, tem grande potencial para influenciar o desenvolvimento sustentável. Em especial o ODS número 11, que visa tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis, tem forte conexão com as atividades de desenvolvimento imobiliário e de construção.

Por que isso é importante?

Em 2014, 54% da população mundial vivia em áreas urbanas, com projeção de crescimento para 66% em 2050. As cidades ocupam somente 2% do espaço do planeta, mas usam entre 60% e 80% da energia produzida e provocam 75% das emissões de carbono na atmosfera

O objetivo 11 possui propósitos bastante desafiadores, como:

  • Garantir o acesso de todos à habitação segura e aos serviços básicos;
  • Proporcionar o acesso a sistemas de transporte seguros, acessíveis e sustentáveis;
  • Aumentar a urbanização inclusiva e sustentável;
  • Reduzir significativamente o número de mortes, o número de pessoas afetadas e as perdas econômicas decorrentes  de catástrofes ambientais.

Um dos focos do ODS 11 é reduzir o impacto ambiental negativo per capita das cidades, com especial atenção à qualidade do ar e à gestão de resíduos sólidos. No Brasil, a meta é garantir que todas as cidades com mais de 500 mil habitantes tenham implementado sistemas de monitoramento de qualidade do ar e planos de gerenciamento de resíduos sólidos.

Para cumprir esse propósito foram estabelecidos dois indicadores:

  • Proporção de resíduos sólidos urbanos regularmente coletados e com destino adequado no total de resíduos sólidos urbanos gerados, por cidades.
  • Nível médio anual de partículas inaláveis (ex: com diâmetro inferior a 2,5 µm e 10 µm) nas cidades (população ponderada).

O papel da Construção Civil

Embora possua um papel vital para a economia do país, a indústria da construção está entre as que mais consomem recursos naturais, provocam alterações no solo e geram emissões de CO₂. Conforme o CBCS (Conselho Brasileiro de Construção Sustentável), o setor utiliza 75% dos recursos naturais e 20% da água nas cidades, além de gerar 80 milhões de toneladas/ano de resíduos.

Tal situação reforça a necessidade de as construtoras lançarem mão de ações para reduzir os impactos das suas atividades à comunidade no entorno. As ações devem passar por gestão de resíduos, eficiência energética, logística reversa, controle de emissões em equipamentos, combate ao desmatamento e respeito à biodiversidade. A equipe do CTE preparou um e-book que aborda a aplicação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável no setor da construção. O material foi produzido a partir de oficina realizada no Programa de Capacitação de Empresas do Setor da Construção em ESG. Clique aqui e faça o download gratuito da publicação.

Quer receber as
melhores dicas? Assine nossa newsletter

Fique tranquilo, não enviaremos spam.

keyboard_arrow_up