Gerenciamento

Novo Edifício do Insper – Rua Quatá 200

Projeto

Design e Inovação: a construção de um espaço que conecta pessoas, educação e desenvolvimento

A missão do Insper em ser um centro de referência em educação e geração de conhecimento está agora representado em seu novo campus, na Vila Olímpia, São Paulo. O novo edifício foi projetado com foco em inovação e sustentabilidade, seguindo os moldes das universidades mais conceituadas do mundo, e representados em espaços de estudo únicos e vibrantes que apoiam a criação de ideias, desenvolvimento e soluções diferenciadas.

O CTE Gerenciamento foi responsável pela condução de todas as etapas do empreendimento, desde a análise inicial e compatibilização dos projetos, na contratação da construtora principal e demais prestadores especializados, até no gerenciamento das obras do edifício (Core & Shell) e de interiores (Fitting Out).

Sobre o Insper

O INSPER é uma instituição sem fins lucrativos dedicada ao ensino e à pesquisa, oferecendo cursos de graduação e pós-graduação, além de educação executiva, em especial seus programas de MBA. Originário do IBMEC, fundado no Rio de Janeiro na década de 70, foi criado em 1999 como entidade independente e hoje é referência como escola de negócios e possui diversas certificações internacionais na área.

O Projeto

Em maio de 2016 o CTE iniciou suas atividades junto ao Insper, através da análise técnica dos projetos, buscando contribuir com as melhores soluções em eficiência energética, bem como garantir a compatibilização entre as diversas disciplinas. Sequencialmente, iniciou o processo de concorrência para a contratação da
construtora que seria responsável pela execução do Core & Shell. O trabalho de seleção foi bastante complexo. A localização privilegiada, porte da obra e importância da instituição atrairam um número muito grande de construtoras interessados em participar do Projeto.

A credibilidade e isenção do CTE foram primordiais para que o processo ocorresse de forma isenta, organizada e tecnicamente mais adequada ao tipo de contrato que era necessário.

Um grande desafio do projeto era gerar o menor impacto possível na vizinhança, formada por condomínios de alto padrão ou edificações mais antigas, que poderiam ser afetadas em diversos momentos da construção –  preservando assim, não apenas a manutenção das edificações vizinhas, mas também a imagem da Instituição de Ensino.

Além disso, a obra não poderia afetar as rotinas e fluxo dos estudantes do próprio Insper, que manteve suas atividades acadêmicas normais na edificação vizinha, durante toda a construção.

A construtora selecionada no processo de concorrência foi a R.Yazbek e, em parceria com o CTE e consultores especializados, iniciou trabalhos de pré-engenharia visando identificar novas alternativas técnicas que gerassem economia financeira e uma redução no prazo. Após alguns estudos, os sistemas de contenção e fundação previstos inicialmente foram alterados, o que gerou um ganho de prazo de 30 dias no caminho
crítico da obra.

As obras iniciaram em fevereiro de 2017 e as atividades transcorreram de forma continua, mantendo o ganho de prazo da fase inicial durante toda a execução da fase de estrutura do projeto.

Outra alteração importante, que impactou diretamente o projeto e a execução da obra, foi a transferência de todas as condensadoras do sistema de ar condicionado, inicialmente previstos no pavimento térreo, para a cobertura do prédio. Isso evitaria que a reverberação dos equipamentos instalados gerasse transtornos nas edificações próximas, incluindo no próprio edifício atual do Insper.

A gestão de modificações desta natureza é bastante complexa. As atividades de gerenciamento do CTE envolveram equipes multidisciplinares, composta por profissionais de diversas disciplinas especializadas (instalações, automação, ar condicionado, estrutura, entre outro), para alinhamento das revisões de projeto,
compatibilização e planejamento das implementações em uma obra já em andamento.

Em fevereiro de 2018 o CTE foi também contratado para o gerenciamento das obras de interiores, que incluíam todos os acabamentos finos, mobiliários, equipamentos, instalações internas e o sistema de automação, esse último de grande complexidade.

A arquitetura deste sistema envolveu um protocolo DALI, responsável pelo controle automatizado de iluminação, ar condicionado, acessos, consumo de energia elétrica e gás, dentre outras diversas funcionalidades.

Mesmo com todos os desafios envolvidos, o prédio foi inaugurado dentro no período letivo que se iniciou em fevereiro de 2019.

Destaques da obra

O prédio possui 15.750m2 de área construída, distribuídos em seis andares, 3 subsolos, 5 laboratórios, 20 salas de aula e diversas áreas descontraídos para leitura, estudo ou simplesmente para convivência. Entre os destaques da arquitetura de interiores estão o tobogã gigante fabricado e importado da Alemanha (que interliga o 2º andar ao pavimento térreo) e o rooftop, para que os alunos e professores aproveitarem o tempo ao ar livre e com vista panorâmica da região.

Um dos laboratórios criados foi o FabLab, área destinada a trabalhos em marcenaria, ferramentaria e impressão com tecnologia 3G. Ele segue conceitos de diferentes faculdades de alto nível internacional, onde a tecnologia não se limita aos equipamentos instalados no ambiente, mas também à própria sala. O ambiente conta com sistema de aspiração central para área de pintura, rede de ar comprimido e iluminação adaptativa.

Dentre as atividades de gerenciamento do CTE, a gestão financeira do contrato da construtora foi outro ponto bastante destacado neste empreendimento. Optou-se por uma modalidade de contrato por administração com preço máximo garantido (PMG), com todos os pagamentos realizados diretamente pelo Inper. Este processo traz certo risco do Cliente, mas se bem administrado é bastante compensador. Exige da gerenciadora um controle muito rígido de todos os subcontratados, todas as notas e todos os pagamentos.

Após a conclusão da obra, com a formalização das minutas de encerramento contratual, o CTE apurou uma economia de 6% do contrato do Core & Shell e 5% para o contrato do Fitting Out, comparativamente ao orçamento inicial da obra.

Veja também

Receba nossas novidades


keyboard_arrow_up