fbpx
Sustentabilidade

Estádio Maracanã

Projeto

Um dos maiores palcos da paixão nacional faz um golaço na construção inovadora e
sustentável

Inaugurado em 1950, o Estádio Maracanã já foi o maior do mundo e chegou a comportar 200 mil pessoas na final da Copa do Mundo de Futebol da FIFA daquele ano. Além de times de futebol, o gramado já foi palco de famosos cantores como Madonna, The Rolling Stones, Tina Turner, Frank Sinatra entre outros. Mas foi em 1983 que o Maracanã bateu seu recorde de público, recebendo 250 mil fãs da banda de rock Kiss.

Sessenta e quatro anos depois, mais precisamente em 2014, o Brasil voltou a sediar uma Copa do Mundo e o Maracanã foi palco de vários jogos importantes, entre eles a final. Para isso, o Estádio passou por uma ampla reforma, com o objetivo de atender a todos os padrões exigidos pelo comitê organizador, entre eles, obter a Certificação LEED®.

A Unidade de Sustentabilidade CTE ofereceu os serviços de Consultoria de Certificação LEED® Building Design and Constructionn, com o objetivo de tornar o Maracanã um estádio reconhecido pela sua alta performance ambiental. A reforma seguiu os mais altos padrões de excelência de sustentabilidade no ambiente construído, tendo como foco o desenvolvimento de projetos e a execução de obra.

O Projeto

O CTE participou desde o início da fase de projeto e modelagem sustentável da arena até a entrega das obras, atuando diretamente com os empreendedores, projetistas e construtora para a conquista da certificação LEED®. O estádio possui 98.776,13 m2, dos quais 26.026,18 m2 são de construção nova e 72.749,95 m2 foram reformados.

A Certificação

A certificação LEED for New Construction na categoria Silver, versão 3.0., que foi concedida pelo USGBC (United States Green Building Council), avalia e reconhece soluções e tecnologias sustentáveis adotadas no processo de construção do empreendimento, visando reduzir os impactos causados no meio ambiente durante toda a vida útil da edificação. Além disso, garante uma gestão consistente do empreendimento, embasada em políticas e processos de manutenção de equipamentos, na gestão de energia, água, resíduos e serviços, como, por exemplo, limpeza e o paisagismo. O objetivo final é maximizar a eficiência operacional e minimizar os impactos ambientais.

Resultado do Projeto

  • Redução de 23% do custo operacional com consumo de energia.
  • Diminuição de 71,14% no consumo de água potável (100% da demanda de bacias e mictórios será abastecida com água de reuso) e 100% de economia de água potável para irrigação.

Diferenciais Sustentáveis do Maracanã:

Terreno sustentável

  • O empreendimento possui acesso à Estação Maracanã (trens de superfície) já em
    operação e mais de 60 linhas de ônibus que atendem o estádio, reduzindo o
    impacto causado pela utilização de automóveis.
  • Todas as vagas de estacionamento estão localizadas no pavimento térreo e são
    cobertas, reduzindo os efeitos de ilha de calor no entorno do empreendimento.

Uso racional de água

  • Houve a redução de 100% do uso de água potável para mictórios e bacias
    sanitárias.
  • Considerando os demais dispositivos, como torneiras de lavatórios, chuveiros,
    torneiras de serviço e sprays de pré-lavagem de utensílios de cozinha, a redução é
    de 71,14%.
  • 100% da água utilizada para irrigação é proveniente de água de chuva.

Energia e atmosfera

  • Redução total no custo anual de energia de 23% comparado com o modelo de
    referência.
  • Instalação de sistema VRF com condensação a ar, apresentando redução de
    consumo energético com ar condicionado devido à significativa redução na
    operação dos ventiladores, por exigir menor movimentação de ar quando
    comparado ao sistema CAG com fan-coils e caixas de VAV.
  • Utilização de sistema de iluminação eficiente, reduzindo em 44% o consumo de
    energia com iluminação interna.
  • Instalação de 60 conjuntos de placas fotovoltaica, responsáveis por uma produção
    energia equivalente a 458.685,00 kWh/ano.

Materiais e recursos

  • Foram previstas em projeto áreas de fácil acesso dedicadas à coleta e
    armazenamento de materiais para reciclagem, localizadas no pavimento térreo.
  • Foi desenvolvido um Programa de Reciclagem e Coleta Seletiva para
    conscientização dos usuários, incluindo logística interna, transporte e destinação
    final.
  • Foram mantidas 55% das estruturas, fachadas e vedações verticais existentes no
    projeto original, garantindo significativa redução na geração de resíduos causada
    pela reforma do estádio.
  • A quantidade (em volume) de resíduos desviados de aterros foi de 50%, excluindo-
    se resíduos perigosos e solo/terra.

Qualidade do ambiente interno

  • Parâmetros de conforto térmico compatíveis com os parâmetros estabelecidos na
    norma ASHRAE 55.1 – 2004.
  • Medição rigorosa dos sistemas de fornecimento de ar, garantindo que o volume
    mínimo de ar necessário para manter a qualidade do ambiente interno seja
    fornecido aos ocupantes.

Receba nossas novidades


keyboard_arrow_up