Sustentabilidade

São Paulo Corporate Towers

Projeto

É impossível circular pelas margens do Rio Pinheiros e não se surpreender com a arquitetura marcante e arrojada das duas torres do São Paulo Corporate Towers. Referência e exemplo de que é possível unir e harmonizar construção e natureza, sustentabilidade e tecnologia, o São Paulo Corporate Towers foi primeiro empreendimento brasileiro a obter pré-certificação LEED® Platinum 3.0 Core and Shell.

Projetado por um dos mais respeitados escritórios de arquitetura do mundo, o Pelli Clarke Pelli, de Nova York, o edifício possui 258.000 m² de área construída divididos em duas torres empresariais com lajes que variam de 1.805 m² a 2.570 m², sendo divididos em áreas comerciais, centro de convenções para 450 pessoas, restaurantes e cafeteria. Desde a concepção até sua construção o projeto está alinhado com os requisitos do U.S. Green Building Council, apresentando os mais altos índices de eficiência energética e sustentabilidade.
A Unidade de Sustentabilidade CTE, ofereceu os serviços de Consultoria de Green Building, com Certificação Leed® Building Design and Construction.

O Projeto

O CTE esteve presente desde a concepção do projeto, passando pelos processos da obra, até a entrega do edifício. Um dos principais desafios inicialmente, foi englobar e conciliar todos os diferentes vetores e necessidades de todos os envolvidos na construção do empreendimento, em um processo único e com o mesmo objetivo. Por ser um empreendimento imobiliário, foram apresentados e discutidos diversas alternativas, uma vez que a busca pela certificação Platinum, exige um desempenho ambiental muito rápido, conciliando sempre o interesse da corporação com benefício ambiental.

Sistema de Ar

Sistema de ar-condicionado por meio de expansão indireta (água gelada) com condensação a água e distribuição de ar variável (VAV) pelo teto, prevendo a divisão por zonas térmicas (fachadas e internas). Com sensor de controle da qualidade do ar (CO²) no retorno.

Eficiência Energética 

Com as mais avançadas tecnologias disponíveis no mercado, o empreendimento conseguiu 48% na redução do consumo de energia/ano. O empreendimento conta com uma usina de geração de energia composta por quatro geradores de 2MW (cada), sendo um a diesel e três a gás.

Hidráulica

A água da chuva e a chamada água cinza (de pias dos sanitários e drenos dos equipamentos de ar-condicionado) são armazenadas em reservatórios para serem reutilizadas na limpeza, irrigação da área verde, sistema de condensação do ar-condicionado e bacias e mictórios dos sanitários, o que contribui para 45% de economia no consumo de água potável.

  • Reservatórios de Água Potável – Capacidade de 200 m³ por torre, representando
    aproximadamente dois dias de reserva.
  • Reservatórios de Incêndio – Capacidade de 370 m³ para reserva técnica.
  • Água de reúso – Será utilizada para irrigação e ar-condicionado, além do uso para a
    limpeza das áreas comuns.

Automação e tecnologia:

  • Prédio com BMS completo (Building Management System): sistema inteligente de gerenciamento predial e controle de acesso interligado à chamada de elevadores e sistema de tarifação individual de energia elétrica e água.
  • Conectividade: Sistema Wireless nas áreas comuns e aplicativos exclusivos.
  • Telefonia: Infraestrutura para centrais telefônicas, infraestrutura para condutores de
    fibra ótica, acesso para diversas operadoras de sistemas de telecomunicação e
    antenas.

Mobilidade

A localização do empreendimento incentiva, de forma direta, o usuário a utilizar meios mais conscientes para chegar ao seu local de trabalho. O Corporate Towers oferece 225 vagas para veículos de baixa emissão de poluentes e baixo consumo de energia e 63 vagas para bicicletas, com vestiários próximos, aumentando ainda mais o conforto de seus usuários. Além disso, estão às avenidas Nações Unidas e a Presidente Juscelino Kubitschek, facilitando o acesso através das linhas de ônibus e trem.

Paisagismo

Muito mais do que enfeite, o paisagismo promove o bem-estar não só dos que utilizam do espaço, mas também para a cidade. Foram utilizadas mais de 720 árvores nativas da mata atlântica, resgatando a diversidade das plantas, e toda a sua irrigação é feita com água captada da chuva.

Receba nossas novidades


keyboard_arrow_up