CTE desenvolve Programa de Capacitação na Norma de Desempenho

Empresas da construção estão capacitando seus profissionais para o atendimento à NBR 15575, que estabelece um nível de desempenho mínimo para edificações habitacionais.

 

Em julho de 2013 entrou em vigor a Norma de Desempenho NBR 15.575:2013 – Edificações Habitacionais – Desempenho, que institui o nível de desempenho mínimo para os elementos principais de toda e qualquer edificação habitacional ao longo de sua vida útil.

Embora o conceito de desempenho e a necessidade de estabelecer requisitos mínimos para edificações habitacionais tenham sido pauta no setor da construção nos últimos 30 anos, e a Norma de Desempenho tenha sido fruto dessas discussões, grande parte do mercado ainda precisa se preparar para a adequação à nova Norma. Os requisitos específicos para os elementos de estrutura, vedações, instalações hidrossanitárias, pisos, fachada e cobertura estabelecidos pela Norma envolvem, além de conhecimentos específicos, adequações em várias áreas e processos das empresas para que elas possam cumpri-los.

Dependendo da empresa e de sua atuação, a nova Norma pode gerar a necessidade de requalificação das equipes de projetistas, de obra e engenharia, de adequação dos projetos, reavaliação dos custos da construção, investimentos nas áreas de desenvolvimento tecnológico, restruturação na seleção de sistemas e materiais, ente outras. “Mais do que atender meramente aos requisitos técnicos, a Norma traz uma necessidade de mudanças no modo de definir o produto a ser construído, projetar, especificar os sistemas e materiais e ainda construir”, afirma Marcia Menezes, diretora da área de Inovação & Tecnologia do CTE.

Para auxiliar as empresas do setor da construção a aprofundarem melhor os temas e assim poderem se estruturar para atenderem aos requisitos, o CTE desenvolveu o Programa de Capacitação na Norma de Desempenho – NBR 15575. O Programa prevê a capacitação de profissionais de empresas incorporadoras, construtoras e projetistas em grupo ou in company.

 

Grupo de profissionais das empresas JNA, BKO, Diálogo, Carvalho Silveira e ARCOparticipam das oficinas do Programa de Capacitação na Norma de Desempenho na sede do CTE

 

O Programa foi desenvolvido para a formação de profissionais em um período de cinco meses, contemplando cinco módulos de treinamento, que abordam conceitos, normalização aplicável, relação dos requisitos com os processos de projeto, suprimentos, execução e com o uso e operação, além do desenvolvimento de ferramentas para controle do atendimento ao requisito.

As oficinas para treinamento das equipes são oportunidades de discussão sobre o atendimento e comprovação de cada um dos requisitos das seis partes da norma de desempenho e também sobre as mudanças que a empresa terá que incluir em seus processos de obras, projeto, suprimento, assim como no Manual de Uso e Operação.Além das oficinas, são realizadas consultorias indoor para orientar nas questões específicas de cada empresa.

De modo geral, boa parte dos requisitos da NBR 15575 já é atendida pelas empresas. No entanto, as empresas ainda não têm evidências para comprovação deste atendimento, conforme definido pela Norma. “Na análise de cada tema, por exemplo, a empresa precisa ter a certeza de que os sistemas construtivos adotados em seus padrões estão aptos a atenderem a Norma. Para tal, muitas vezes são necessários testes ou ensaios dos materiais, elementos e componentes que podem ser realizados pelas construtoras ou por fabricantes. Outras vezes, cálculos ou simulações já são suficientes”, comenta Maurício Hino, diretor da área de Qualidade & Processos do CTE.

O Programa, que foi formatado para ser aplicado a um grupo de empresas ou mesmo para uma única empresa, está em pleno andamento. Hoje o Programa atende a um grupo de empresas de São Paulo, formado por profissionais da JNA, BKO, Diálogo, Carvalho & Silveira e ARCO, e a outro grupo formado pelos profissionais da Even (in company).

O Programa de Capacitação na Norma de Desempenho – NBR 15575 foi desenvolvido em conjunto pela área de Qualidade & Processos e pela área de Inovação & Tecnologia do CTE, sob o comando de seus diretores Maurício Hino e Marcia Menezes.