Primeira rodovia de painéis solares do mundo é inaugurada na França

A primeira rodovia de painéis solares do mundo foi oficialmente inaugurada em uma pequena cidade da Normandia, França;

Construído na pequena cidade de Tourouvre-au-Perche, a rota de um quilômetro, apelidada de "Wattway", é coberta por 2.800 metros quadrados de painéis fotovoltaicos. Ela foi projetada para receber até 2.000 veículos por dia, enquanto geram em média 767 quilowatts-hora (kWh) por dia, energia suficiente para alimentar toda a iluminação das ruas da pequena cidade de 3.400 residentes.

Para proteger contra o desgaste, os painéis foram revestidos com uma resina contendo cinco camadas de silício.

A construção da estrada é parte de um incentivo das autoridades francesas ligadas à ecologia para instalar 1000 quilômetros de estradas solares em todo o país nos próximos 5 anos. Construída a um custo de 5 milhões de euros (cerca de 5,2 milhões de dólares), os diretores não consideram o projeto um produto acabado, mas o próximo passo no desenvolvimento da tecnologia.

"Estamos ainda em fase experimental. Construir um protótipo experimental desta escala é uma oportunidade real para a nossa inovação ", disse o diretor da Wattway, Jean-Charles Broizat, em um comunicado. "Este terreno de teste nos permitiu melhorar nosso processo de instalação do painel fotovoltaico, bem como a sua fabricação, a fim de continuar a otimizar nossa inovação."

A rodovia entrará agora um período de teste de 2 anos, no qual a viabilidade e adaptação da tecnologia serão avaliadas.

Críticas à "estrada solar"

O projeto rfoi alvo de críticas de diversas organizações ambientalistas que consideram seu custo, de 5 milhões de euros, exagerado para a quantidade de energia que pode produzir.

"Sem dúvida é um avanço técnico, mas para desenvolver as energias renováveis há outras prioridades do que este brinquedo que sabemos que é muito caro, mas não funciona bem", disse ao jornal Le Monde o vice-presidente da Rede para a Transição Energética (CLER), Marc Jedliczka.

O preço do quilowatt produzido nesta via solar chega a 17 euros, frente aos 1,3 euros para a geração de em uma instalação fotovoltaica – que produz volts de energia por meio da luz solar – em um telhado. Os especialistas destacam que as instalações inclinadas são mais eficientes na hora de produzir eletricidade, uma desvantagem desta iniciativa, pois está em posição horizontal.

Os responsáveis pelo projeto sustentam que o trecho inaugurado hoje é uma prova de que o preço da infraestrutura diminuirá à medida que aumente a demanda, o que barateará também o custo da energia produzida. Em 2020, disseram, o preço do quilowatt produzido em uma estrada solar será similar ao de outra usina de energia solar.

Por Patrick Lynch

Fonte: The Guardian,  Inhabitat, 03/01/2017