Aliansce investirá na expansão de shoppings mais antigos

Confiante no desempenho do setor, a Aliansce Shopping Centers manterá a estratégia de crescimento nos próximos meses, mesmo após a renovação no bloco de controle da empresa e o resultado mais fraco das vendas no segundo trimestre.

A Aliansce tem R$ 139,7 milhões em desembolsos com dois empreendimentos que serão inaugurados no quarto trimestre: Parque Shopping Maceió, com área bruta locável (ABL) de 35,6 mil m² e o Shopping Parangaba, em Fortaleza, com 32,3 mil m² de ABL. A participação da companhia é de 50% e 40%, respectivamente.

A maior aposta, no entanto, está na expansão dos shoppings em operação. Das 17 unidades em que a Aliansce detém participação, 8 não passaram por obras para ampliação e abertura de novas alas.

De acordo com o superintendente de relações com investidores, Eduardo Prado, as vendas no terceiro trimestre já foram melhores do que no período anterior, quando as manifestações nas ruas e a Copa das Confederações afastaram a população das compras, o que afetou a Aliansce e a maioria das operadoras de shoppings.

"Foram efeitos não recorrentes. Não temos mais as preocupações de junho", afirmou o executivo, em entrevista ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado. Prado avaliou que, apesar das turbulências na economia brasileira, o nível de desemprego no País permanece baixo, garantindo condições de consumo para o público que frequenta os shopping centers. "O setor tem mostrado descolamento em relação ao restante da economia", ressaltou.

Sociedade. Depois do resultado mais fraco das vendas, a Aliansce passou também por uma mudança na sua estrutura societária. A empresa de investimentos imobiliários General Growth Properties (GGP), sócia desde 2004, vendeu a fatia na companhia sob a justificativa de que passaria a concentrar suas operações nos Estados Unidos, seu país de origem.

A fatia da GGP foi adquirida pelo fundador e diretor-presidente da Aliansce, Renato Rique, e pelo fundo de pensão canadense CPPIB, em negociação que movimentou cerca de R$ 1,5 bilhão em julho. Com isso, Rique passou a deter 21,70% das ações, e o fundo canadense, 27,58%.

Neste mês, será realizada assembleia para definir a nova composição do conselho de administração. Das cinco vagas, duas serão controladas por Rique, duas pelo fundo canadense e uma por membro independente. Na formação atual, Rique tem apenas uma cadeira.

Segundo o superintendente de relações com investidores, a estratégia de crescimento continuará a mesma com a nova gestão, sendo mantido o protagonismo de Rique no direcionamento dos novos projetos e aportes. "A palavra dele é muito ouvida", disse.

Por CIRCE BONATELLI

Fonte: www.estadao.com.br/noticias/impresso,aliansce-investira-na-expansao--de-shoppings-mais-antigos-,1082325,0.htm