Custo subiu mais no Norte e Nordeste do País

 

SÃO PAULO, 5 de novembro de 2008 - Quem decidiu construir nas regiões Norte e Nordeste do Brasil pagou mais caro do que no restante do País, segundo o Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em convênio com a Caixa Econômica Federal. Em outubro, o custo subiu 2,29% e 1,12% em relação a setembro no Norte e o Nordeste, respectivamente. As demais regiões apresentaram variações abaixo da média nacional (0,95%): 0,81% no Sudeste; 0,57% no Centro-Oeste e 0,54% no Sul.

 

A região Norte também se destacou por apresentar os acumulados mais elevados no ano (11,69%) e nos últimos doze meses (13,39%). Os acumulados mais baixos nestes períodos se concentraram na região Nordeste (9,19% e 10,44%, respectivamente).

 

Os custos regionais apontaram os seguintes valores, por metro quadrado: R$ 707,13 (Sudeste); R$ 665,13 (Norte); R$ 659,87 (Sul); R$ 640,30 (Centro-Oeste) e R$ 621,20 (Nordeste).

 

Em outubro, o Pará foi o único estado cujo resultado mensal foi pressionado por reajustes salariais, sendo, por esta razão, o destaque com índice de 4,23%. No ano, o estado do Acre manteve-se com o maior acumulado (14,03%), ficando com Rondônia a variação mais acentuada nos últimos doze meses (15,57%). (VS - InvestNews)