“Programa de Gestão da Sustentabilidade para Empresas Incorporadoras e Construtoras” capacita primeiro grupo de empresas em SP

Em 2009, o CTE – Centro de Tecnologia de Edificações e Secovi-SP firmaram parceria para desenvolver o Programa de Gestão da Sustentabilidade para Empresas Incorporadoras e Construtoras e quatro empresas de referência no setor formaram o primeiro grupo para participação no Programa: BKO, EZTEC, Porte Construtora e Scopel Desenvolvimento Urbano. No último mês de agosto, em São Paulo, as quatro empresas concluíram com sucesso suas atividades e capacitação no Programa.

O objetivo principal do Programa foi preparar as empresas para a gestão da sustentabilidade empresarial, difundindo conceitos, metodologias e ferramentas aplicáveis ao setor da construção. Assim, o grupo vivenciou, durante 12 meses (de agosto de 2009 a agosto de 2010), uma série de atividades, como oficinas, consultorias e palestras, distribuídas por nove módulos temáticos:

1. Sustentabilidade corporativa: conceitos básicos
2. Primeiros passos rumo à sustentabilidade
3. Incorporando a sustentabilidade à gestão da empresa
4. Sustentabilidade na seleção do terreno, concepção do produto, desenvolvimento do projeto e lançamento do empreendimento
5. Sustentabilidade na aquisição
6. Sustentabilidade nas obras
7. Sustentabilidade na entrega, uso e operação
8. Monitoramento, controle e comunicação da sustentabilidade
9. Resultados alcançados e visão de future

Segundo Marcia Menezes, diretora da Unidade de Projetos Especiais do CTE e responsável pelo Programa, as quatro primeiras empresas capacitadas mostraram resultados bastante práticos e significativos:

Com a aplicação da pesquisa “onde estamos na sustentabilidade?”, foi possível identificar quais os aspectos que cada empresa já aborda na empresa e como estão integrados aos seus processos e produtos.
Com o mapeamento dos stakeholders, foi possível enxergar quais são as partes interessadas e quais as relações de impacto entre a empresa e esses públicos. O engajamento com as partes interessadas é de suma importância, pois desenvolve uma cultura de diálogo, aprendizado e inovação para a empresa.
A incorporação dos conceitos de sustentabilidade na missão, visão, valores e princípios da empresa foi uma oportunidade de distinguir as questões mais relevantes para o negócio da organização, permitindo o alinhamento empresarial.
A elaboração da política de sustentabilidade permitiu delimitar o caminho que será percorrido para a sustentabilidade nas empresas.
O desenvolvimento de código de ética e/ou de conduta ocorreu com o objetivo de estabelecer e nortear as atividades da empresa, considerando princípios corporativos com foco em sustentabilidade.
A elaboração ou revisão das normativas internas da empresa para os processos de incorporação e projeto possibilitou percepção para a criação de produtos com foco em sustentabilidade, já que estes têm sido observados como diferencial de mercado.
Com a elaboração ou revisão das normativas internas da empresa para os processos de gerenciamento e execução de obras, foi possível estabelecer regras para garantir que a construção seja realizada baseada com foco em sustentabilidade, incluindo diretrizes para implantação de canteiro, realização de serviços de obra, tratamento de resíduos, coleta seletiva, ambiente de trabalho, integração e valorização e pessoal, entre outros.
A inclusão de critérios e diretrizes de sustentabilidade no processo de aquisição de materiais, serviços e equipamentos permitiu garantir uma cadeia de valor alinhada aos preceitos de sustentabilidade.
A definição de roteiro para elaboração de manuais para o proprietário dos imóveis possibilitará transmitir aos usuários as melhores práticas para a garantia do desempenho durante a fase de operação e uso.
Ações focadas no desenvolvimento profissional das empresas difundiram os conceitos de sustentabilidade nos vários níveis organizacionais.
O estabelecimento de indicadores de desempenho permitirá o monitoramento da empresa em relação aos quesitos de sustentabilidade.
Com a elaboração de relatórios de sustentabilidade, as empresas poderão estabelecer um canal de comunicação com os diversos stakeholders.

A incorporação dos conceitos de sustentabilidade é, sem dúvida, um dos grandes desafios para as empresas do setor da construção que visam a diferenciação no Mercado e o desenvolvimento sustentável. A ampliação da visão puramente econômica com a inclusão das dimensões ambientais e sociais na estratégia empresarial, aliadas a ferramentas para a gestão e controle das operações de forma transparente e ética, são, certamente, objetivos a serem alcançados pelas organizações preocupadas com sua atuação no médio e longo prazo.

Foi neste sentido que o CTE desenvolveu o Programa em 2009, para que houvesse a discussão, reflexão e aplicação prática desses conceitos no setor da construção.

A continuidade do Programa, aplicável a grupos de empresas interessadas em aprender com a troca de experiências, será decidida após uma avaliação conjunta do Secovi-SP e CTE sobre os resultados obtidos com esta primeira turma. Haverá uma reformatação do Programa em módulos mais curtos e uma ação de divulgação e marketing para as empresas incorporadoras e construtoras do mercado imobiliário.

 
O primeiro grupo de empresas de SP capacitado no Programa discute resultados no último dia de atividades, na sede do Secovi-SP

ACOMPANHE OS DEPOIMENTOS DE QUEM DESENVOLVEU E PARTICIPOU DO PROGRAMA

Roberto de Souza, Diretor Presidente do CTE

“A parceria entre o Secovi-SP e o CTE para desenvolvimento e aplicação do Programa de Gestão da Sustentabilidade tem extrema relevância para o mercado imobiliário que, para crescer nos próximos anos no Brasil, terá que se basear nos conceitos e princípios do Desenvolvimento Sustentável, considerando suas três dimensões: (1) econômica, pois teremos que garantir rentabilidade, prazos, custos e qualidade dos empreendimentos e das empresas; (2) ambiental, pois teremos que incorporar tecnologias sustentáveis nos empreendimentos e minimizar os impactos ambientais, principalmente os relativos à energia e água; (3) social, pois o nosso setor tem alto impacto social e pode gerar ações de responsabilidade e inclusão social e geração de renda.”


Ciro Scopel, Vice-presidente de Sustentabilidade do Secovi-SP

“A formatura da primeira turma do Programa de Gestão da Sustentabilidade, fruto da parceria CTE/Secovi-SP, é uma grande vitória para o mercado imobiliário. A realização desse Programa foi importantíssima, pois contribuiu para o amadurecimento e o intercâmbio de ideias entre várias empresas. A participação de companhias com equipes multidisciplinares permitiu que se atingisse uma heterogeneidade de perfis que enriqueceu efetivamente o debate, as oficinas e o curso de forma geral. Esperamos que esse processo de aculturamento proporcionado pelo Programa tenha um efeito em cascata de disseminação de conhecimento dentro das companhias que participaram e, consequentemente, em seus stakeholders. A expectativa do Secovi-SP é que novas turmas sejam formadas para propagar essas informações na cadeia imobiliária.”


Ciro Scopel, Vice-presidente de Sustentabilidade do Secovi-SP, e Roberto de Souza, Diretor Presidente do CTE: responsáveis pela parceria e sucesso do Programa


Fernando Mendes, Coordenador de Marketing da Scopel Desenvolvimento Urbano

“A realização do Programa representa um marco para o mercado imobiliário. As empresas convidadas obtiveram um aprendizado multidisciplinar por meio de apresentação de cases e um acervo teórico do que há de mais atual em gestão sustentável.

Para a Scopel, esse processo representou um verdadeiro choque de gestão em sua cultura organizacional de modo a implantar uma política de diretrizes desde a prospecção de áreas, passando pelo desenvolvimento do projeto até lançamento e pós-vendas. Esse processo foi coordenado por um Comitê de Sustentabilidade, que possibilitou uma integração entre departamentos muito ampla, promovendo ações espontâneas e gerando uma discussão do tema, sob diferentes pontos de vista.

Diversas ações já foram incorporadas no plano de ação do 2º semestre, entre elas: reciclagem de materiais promocionais, coletas seletivas nos stands e canteiros de obras, edificações com tetos verdes, reuso de água, entre outros. Para 2011, a previsão é que mais 20 empreendimentos lançados já tenham o plano de diretrizes completamente incorporado.”


Rogério Alves Ferreira, Diretor de Planejamento e Produção da Porte Construtora

“Foi um ano de intensas descobertas sobre nossa identidade. Fomos procurados por diversos funcionários, parceiros, clientes e até por organizações externas ligadas ao assunto que nos tomaram como referência em decorrência do Programa. A sustentabilidade estava em nosso íntimo e era incorporada timidamente em nosso cotidiano, mas nos faltava entendê-la melhor e trazê-la à tona. As atividades técnicas e trocas de experiências com este incrível grupo pioneiro para o setor, além de alterar os processos e estrutura da empresa, nos fez crescer muito espiritualmente e certificar-nos de que podemos, sim, e vamos fazer a diferença para o futuro do planeta.”


Mario Giangrande, Diretor Superintendente da BKO

“Para a BKO, foi muito gratificante participar do Programa de Gestão da Sustentabilidade. O CTE superou nossas expectativas com um conteúdo muito rico e o envolvimento de seus profissionais, que contagiou os integrantes da empresa no Projeto. Foi prazeroso podermos ver que o engajamento inicial do Comitê de Sustentabilidade da empresa aos poucos foi se transformando em engajamento de diversos profissionais da BKO. A empresa finaliza o Programa com uma nova mentalidade para tratar o assunto e com um grande desafio de implantar o Projeto de Sustentabilidade BKO.”

Danusa Nascimento, Consultora do CTE

“A incorporação dos conceitos de sustentabilidade foi um grande desafio para as empresas participantes do Programa, que ampliaram a visão puramente econômica com a inclusão das dimensões ambientais e sociais na estratégia empresarial. As oficinas e consultorias propiciaram um processo enriquecedor e de compartilhamento de experiências, revelando o amadurecimento das empresas ao longo do Programa. Este grande processo de aprendizagem, a partir de desafios e resistências em alguns casos e sucesso em outros, trouxe, ao final, um sentimento de que é premente a transformação da cultura empresarial para uma gestão consciente e responsável, visando o desenvolvimento no longo prazo.

Foi bastante recompensador também perceber o reconhecimento das empresas participantes sobre os seus papéis e responsabilidades com o Planeta. Principalmente quando iniciaram a compreensão sobre as muitas questões que afetam a todos, sobre o pensar no global, e quais poderiam ser as suas contribuições enquanto uma organização, que tem impactos negativos e também positivos, e quais as ações práticas que poderiam ser desenvolvidas.

A semente foi lançada e, mesmo sabendo que este foi somente o início, pois o caminho é longo, a direção está estabelecida rumo ao desenvolvimento sustentável. A união e o trabalho deste Grupo trouxeram algo que ilumina esse caminho: a crença de que a sustentabilidade é possível.”

Mais informações sobre o Programa, fale com Marcia Menezes, Diretora da Unidade de Projetos Especiais do CTE:  marciame@cte.com.br